HISTÓRIA

HISTÓRIA

A Fatomipe está inserida num grupo empresarial com raízes que remontam a 1910. Desde logo, dedicado à fabricação de máquinas e equipamentos destinados à agricultura e enologia.
 
No seu historial, realça-se que o seu fundador inicia a sua atividade com a fabricação de produtos manufaturados, como pequenos alambiques, cafeteiras, sertãs de cobre e tachos, comercializando ainda pulverizadores, trempes, sertãs de ferro e tenazes, todos estes artigos vendidos em feiras locais. As instalações resumiam-se a uma pequena oficina do tipo artesanal, ausente, por isso, de qualquer equipamento mecanizado. Esta empresa não revestia a forma de sociedade comercial funcionando por isso como uma empresa em nome individual.
 
Na década de 40, a chegada à empresa dos seus 5 filhos, de um total de 9, e a coincidência do final da segunda grande guerra mundial bem como de um país carente de imensos artigos, propicia-se o desenvolvimento do seu negócio. No final desta década a pequena oficina vê-se já provida de equipamentos mais sofisticados. No início da década de 50 começam a desenvolver o fabrico de máquinas de destilação de aguardente. Concretamente em 1959 o seu fundador entrega definitivamente a empresa aos seus filhos.
 
Mas não foi antes de meados dos anos 60 que a coincidência de um negócio relacionado com a aquisição de metais no estrangeiro proporciona um enriquecimento da atual empresa, já à época convertida de empresa em nome individual para a atual designação “Henrique Vieira & Filhos”. A empresa, dotada agora de meios financeiros necessários ao desenvolvimento dos negócios e ao investimento alarga o seu leque de produtos fabricados, concretamente atomizadores e pulverizadores motorizados, além do desenvolvimento de novas e inovadoras máquinas de natureza enológica.
 
Com capacidades de produção elevadas e acusando já carência de instalações fabris para os níveis de procura exigidos, os seus sócios constituem em agosto de 1964 uma nova sociedade, “Fatomipe – Fábrica de Atomizadores Portugueses” com o propósito inicial de autonomizar a produção de uma das gamas de produtos fabricados, concretamente os atomizadores, que até então se fabricavam na única unidade industrial da família. Esta nova sociedade, porém, não inicia a sua laboração antes de 1982, nem tão pouco com o propósito inicial do fabrico de atomizadores.
 
Em 1965 a Henrique Vieira & Filhos estabelece com uma prestigiada fábrica de origem francesa, produtora de motores de explosão a 4 tempos, “Bernard Moteurs”, um importante contrato de aquisição em regime de exclusividade para Portugal, comprometendo-se a adquirir elevadas quantidades de motores que pretende incorporar no seu novo produto, uma motobomba para irrigação, que passa a distribuir com a sua marca própria, Triunfo. Este produto conhece nas décadas seguintes uma notoriedade acentuada cujas vendas demonstram cerca de 200.000 motobombas vendidas e uma quota de mercado nacional na ordem dos 80%.
 
Em 1968 iniciam a importação de um tipo de tubo de fabricação e utilidade inovadoras que complementarmente conferem à motobomba funcionalidades acrescidas. De origem grega e dotada de patentes registadas em todo o mundo, a sua fabricação provém de um grupo multinacional da mesma origem, Petzetakis. No ano seguinte estabelecem uma parceria com esta companhia e instalam em Portugal uma fábrica, detida por ambas as sociedades, ao que denominaram “Heliflex – Tubos Flexíveis”, cuja sede ainda hoje se encontra no concelho de Ílhavo, igualmente no distrito de Aveiro. Hoje, com capital integralmente português e maioritariamente detido pela família Vieira, o seu sucesso reconhece-se por ser uma das mais importantes empresas do seu setor em Portugal. Esta empresa atualmente possui filiais em Angola, Moçambique, Chile, Brasil e Ucrânia.
 
Dinamizando a sua vertente industrial, por fim em 1982, a Fatomipe inicia a sua atividade com a autonomização da fabricação das motobombas, a que acrescenta importantes contratos de exclusividade com fabricantes dos motores Kubota de origem japonesa, garantindo ao produto final níveis de qualidade incomparáveis. Os anos que se lhe seguem proporcionam à empresa uma dimensão muito notável para o setor e incentivam a constituição de duas novas sociedades, uma dedicada ao comércio de máquinas e equipamentos de jardim, denominada “Tijardim – Equipamentos de Jardim, Lda.” e uma outra sediada na província espanhola da Catalunha, denominada “Vimak – Power Products, S.L.”, ambas com vocação exclusivamente comercial, sendo que esta última se destina a distribuir grande parte dos produtos fabricados pela Fatomipe em Espanha.
 
Por fim, a “casa-mãe” Henrique Vieira & Filhos concentra-se a partir de 1989, e até à atualidade, na fabricação de produtos enológicos possuindo na atualidade, por si própria, ou através de sociedades que entretanto constituiu, ou adquiriu, um notório posicionamento no mercado como fabricante no setor.
 
Cada uma destas empresas possui uma administração ou gerência autónoma, embora a familia possua hoje um conselho consultivo constituído por elementos da familia que se encontrem integrados nas empresas e por quadros superiores que acumulam cargos de alta direção.
 
Na sua totalidade a faturação deste grupo de empresas cifra-se nos 35 milhões de euros, possui ativos de cerca de 50 milhões de euros e gera 350 postos de trabalho, o que lhe confere no panorama nacional uma relevância económica considerável, além de em cada um dos setores em que opera, fabricação agrícola, enológica e de plásticos, e da sua distribuição na sua generalidade, prevalecer sobre o mesmo uma respeitada reputação.